Conteúdo

Aula em Santos aborda moda para pessoas com deficiência. Inscreva-se

10 de fevereiro de 2020
18h 16

Você sabia que é possível confeccionar ou adaptar roupas usadas para um cadeirante, uma pessoa com deficiência visual ou que tenha um membro amputado? O conceito de moda inclusiva ganha força e será o tema de uma aula aberta no próximo dia 17, em Santos, por meio de uma parceria da Prefeitura com o Governo do Estado. Com a estreia de manequins inclusivos, Santos será o segundo município a receber a atividade este ano, na Vila Criativa da Beleza, na Vila Nova, espaço inaugurado no último dia 7.

A Aula Aberta de Moda Inclusiva está com inscrições abertas e acontecerá das 10h às 12h30, em uma realização conjunta da Coordenadoria de Políticas para a Pessoa com Deficiência de Santos (Codep) e da Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência.

 

Titular da Codep, Cristiane Zamari explica que a atividade é destinada a pessoas com ou sem deficiência e que se interessem por moda. “É importante incluir a estrutura do corpo da pessoa com deficiência nesse universo. Isso amplia a visão de oferta no mercado e garante autonomia e independência das pessoas com deficiência ao se vestirem e se sentirem pertencentes como consumidores e cidadãos”.

Para ela, compreender a diversidade humana no mundo da moda é importante, mas sem padronizar corpos. “Os modelos plus size são um exemplo claro de ampliação de visão de mercado”.
 
De acordo com Thiago Cabral Oliveira, coordenador da Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, o programa de Moda Inclusiva já realizou diversos cursos na capital paulista em 2019. Este ano, a atividade ganhou o formato de aula aberta e se expandiu para outras regiões do Estado. Depois de Ribeirão Preto, Santos foi a escolhida.

 

“A Cidade realiza um brilhante trabalho voltado às pessoas com deficiência por meio da Codep e conta com três faculdades de moda”, explicou Raphaella Nóbrega, que integra a equipe de inclusão da secretaria estadual.

 

DETALHES

 

O conceito de moda inclusiva aborda questões como ergonomia e autonomia. Um deficiente visual, por exemplo, pode vestir uma camiseta com um selo ou uma estampa em braile para saber a cor e o tamanho da roupa que está usando. Um cadeirante pode vestir calças com botões ou zíper laterais.

Mabel Nóbrega, que faz parte da organização da aula, dá detalhes do que pode ser feito nas roupas. “A moda inclusiva usa, por exemplo, velcro em vez de de botão, argolas que facilitam o manuseio ou bolsinhos internos para sonda ou bolsa de colostomia. As peças podem servir para pessoas com deficiência, mas também com baixa mobilidade ou apenas por quem quer mais conforto”.

 

A atividade contará com a presença da consultora e professora Andréia Miron, que ministrará as partes teórica e prática do curso explicando sobre o surgimento da moda e do conceito de inclusão e abordando ainda temas como perfume e beleza.

 

Na ocasião, haverá exposição de manequins e roupas inclusivas. O auditório da Vila Criativa da Beleza tem capacidade para 60 lugares e o endereço é Praça Iguatemi Martins s/nº, Vila Nova.



As inscrições podem ser feitas pelo e-mail codep@santos.sp.gov.br ou pelo telefone 3202-1911. A Vila Criativa da Beleza é 100% acessível, tem piso tátil, placas com braile, rampas de acesso e plataforma elevatória para chegar ao auditório. 

 

Galeria de Imagens

Bolso interno para sonda e colostomia. #Paratodosverem
Bolso interno para sonda e colostomia
Calça com abertura frontal com botão. #Paratodosverem
Calça com abertura frontal com botão
Calça com abertura lateral e fechamento com botão ou zíper. #Paratodosverem
Calça com abertura lateral
Recorte na parte traseira para não sobrar tecido. #Paratodosverem
Recorte traseiro para não sobrar tecido