Conteúdo

Atendimento do Samu em Santos será reforçado com nova ambulância

28 de maio de 2019
14h 25

A frota do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) de Santos contará em breve com mais uma nova ambulância para atendimento da população. Na tarde desta segunda (27), em ato realizado em Sorocaba (São Paulo), o governo federal anunciou que o Município é um dos contemplados com a entrega de 419 ambulâncias para várias cidades e estados do País. O veículo zero quilômetro é do modelo Sprinter (Mercedes-Benz), já adaptado para ambulância de suporte básico, e tem valor de R$ 172 mil.

Com a nova unidade, que chega no próximo dia 5, o Samu de Santos passará a ter 17 veículos em operação. Em 2018, a Secretaria Municipal de Saúde recebeu duas novas ambulâncias, sendo esta a terceira repassada pelo governo federal do total de cinco que a Cidade tem direito. No ano de 2013, Santos ganhou cinco veículos e as regras do Ministério da Saúde estabelecem a renovação da frota a cada cinco anos.

“Estamos fazendo investimentos constantes no Samu com a inauguração de novas bases de apoio como a entregue recentemente no Morro da Nova Cintra, e esta nova ambulância contribuirá para aperfeiçoarmos ainda mais o atendimento da rede de urgência e emergência”, destaca o secretário municipal de Saúde, Fábio Ferraz, que esteve em Sorocaba no evento com a presença do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta.

De acordo com o que é preconizado pelo Ministério da Saúde, que determina uma ambulância básica para cada 100 mil habitantes, Santos precisaria ter apenas quatro veículos. Com as 16 ambulâncias básicas e uma de suporte avançado, a Cidade tem quatro vezes mais do que o mínimo estipulado.

 

QUANDO ACIONAR

O Samu atende em ocorrências graves, que o paciente não pode ser levado até uma das unidades de Pronto Atendimento, como acidentes domésticos e de trânsito, paradas cardiorrespiratórias, entre outras. Nestas situações, os munícipes devem ligar para o telefone gratuito 192, que funciona todos os dias (24 horas).

Os profissionais que recebem os chamados solicitam as principais informações sobre o paciente e a ocorrência para definir as prioridades de atendimento, de acordo com a gravidade, e o melhor tipo de ambulância (suporte básico ou avançado).

 

Foto: