Conteúdo
Notícias

Assinado contrato com empresa que fará projeto básico do teleférico

Publicado: 28 de novembro de 2013
18h 34

Mais um passo concreto foi dado nesta quinta-feira (28) para a transformação da mobilidade urbana da cidade. A prefeitura assinou contrato com a Esse (Empresa Sulbrasileira de Serviços de Engenharia Ltda.), que vai elaborar, em 60 dias, o projeto básico de instalação do sistema de teleférico nos morros. O ato ocorreu na sala de situação, do paço, entre o prefeito Paulo Alexandre Barbosa e o diretor da empresa, Daniel Montagner. Trabalho estimado em R$ 86 mil, a etapa é composta pelos projetos arquitetônicos, geotécnicos, de drenagem, segurança, sinalização e complementares. Após concluído, será feito o licenciamento ambiental e aberta nova licitação para o projeto executivo. A expectativa de início das obras é 2015. “Trata-se de uma revolução em termos de mobilidade urbana com a integração entre os modais”, afirmou o prefeito, se referindo aos demais meios de transporte em implementação e os já existentes, como VLT (Veículo Leve sobre Trilhos), ônibus e o Bike Santos. Ele ressaltou ainda o ganho de tempo e de qualidade de vida ao cidadão. “Estamos estudando a extensão para outros morros em uma segunda etapa. Esses primeiros contemplados são aqueles com maior número de habitantes”, acrescentou, garantindo que a tarifa será unificada. O diretor da empresa Esse também destacou o caráter inovador do projeto com a integração multimodal. “Esse sistema é inédito e vai, de fato, beneficiar a população como um sistema de transporte público”. Espaços requalificados Nas estações, os espaços serão requalificados com equipamentos públicos disponibilizados à população. Na Lagoa da Saudade, por exemplo, será construída arena para apresentações; na Vila Progresso, a estação estará ao lado do Centro Cultural e Esportivo a ser erguido; e no Morro São Bento, ao lado do complexo já existente. O Sistema - Serão cinco pontos de embarque: Valongo, São Bento, Vila Progresso, Nova Cintra e Caneleira - Terá extensão de 7.200m de trajeto (maior que o do Complexo do Alemão, no Rio de Janeiro - 7 mil) - Tempo previsto de viagem: 12 minutos do Valongo até a Caneleira - Serão cabines fechadas e para até seis pessoas - Terá capacidade para receber até 1.000 passageiros por hora