Conteúdo

Alunos da rede municipal de Santos mostram talento com jogos, robótica e programação

25 de outubro de 2019
19h 06
alunos em volta de um dos projetos em exposição #pracegover

Uma lixeira aquática criada para oceanos e piscinas, feita com material reciclável, que suga lixo como plástico, papel e até partículas de óleo. O protótipo, feito por um grupo de alunos da Educação de Jovens e Adultos (EJA) da escola 28 de Fevereiro, foi um dos trabalhos apresentados na 5ª Feira de Ciências, Inovação e Tecnologia (Fecit), nesta sexta-feira (25), no Centro de Formação Darcy Ribeiro.

“Fizemos a lixeira com galão plástico de água, filtro, boia e tubo de PVC, com base em um modelo australiano”, explicou o estudante Eduardo Firmino, 33. Ele contou que ganhou experiência e conhecimento para passar para os dois filhos. Ensacador da área portuária, o aluno mostrou o arduíno (placa de programação) que liga e desliga a lixeira. A elaboração do produto foi possível graças às aulas semanais de Box Maker, com aprendizado sobre tecnologia e desenvolvimento de criatividade, raciocínio, pensamento coletivo e concentração.

GAMES

O evento contou, ainda, com apresentações interativas por meio de jogos e animações programados pelos alunos com o software livre e gratuito scratch, que utiliza blocos (elementos de construção dos programas) e itens de som e imagens. Um júri interno escolheu os três melhores trabalhos, que serão premiados em 1º de novembro, no auditório da Secretaria de Educação (Seduc), com troféus e headphones.

Com apenas 8 e 9 anos, Ana Luiza Cavalcante e Samyrah Luiza Bispo Abrantes, que estudam na unidade Rubens Lara e participam do Escola Total (Vila Criativa Vila Progresso), programaram o jogo 'A aventura saudável do Salu', que aborda a alimentação equilibrada. Um bichinho virtual percorre a cozinha comendo vários alimentos - frutas, hortaliças, ovo, doces -, depois de fazer algumas perguntas para o jogador. A segunda parte do jogo mostra Salu em luta com um dragão que lhe cospe doces para deixá-lo cheio de cáries. O jogador vai rebatendo as guloseimas até zerar a pontuação e o dragão sair correndo para o dentista.

O game demorou cerca de dois meses para ser feito, sob orientação da professora Tânia Rossin. Educador de Programação e Robótica no Parquinho Tecnológico, o professor Leandro Bravo destacou o brilhantismo do trabalho das meninas: “São muito dedicadas.”

ROBÓTICA COM SUCATA

As alunas do 5º ano da unidade Maria de Lourdes Borges Bernal, Raquel Campos, Gabriela Conceição de Lima e Ana Beatriz Barbosa, construíram uma maquete com uso de material reciclável para demonstrar a transformação da energia do vento (eólica) em elétrica.

OFICINAS E PALESTRA 

Além das mostras, houve oficinas de linotipia e massinhas condutiva e isolante, oferecidas pelo Sesc/Santos. 

Outra atração da V Fecit foi uma palestra, para coordenadores pedagógicos da rede municipal, sobre educação e tecnologias, com o professor Carlos Seabra, diretor da Oficina Digital, editor de publicações e produtor de conteúdos culturais e educacionais de multimídia e internet, palestrante, consultor e coordenador de projetos de tecnologia educacional.

Fotos: Marcelo Martins 

Galeria de Imagens

alunos em volta de um dos projetos em exposição #pracegover
alunos em volta de um dos projetos em exposição #pracegover
alunos em volta de um dos projetos em exposição #pracegover
alunos em volta de um dos projetos em exposição #pracegover
alunos em volta de um dos projetos em exposição #pracegover
Alunos escrevem sentados em mesas #pracegover