Conteúdo

Adolfo Lutz descarta caso suspeito do novo coronavírus em Santos

20 de fevereiro de 2020
19h 15

O Instituto Adolfo Lutz, laboratório estadual, descartou na tarde desta quinta (20) o caso suspeito do novo coronavírus (covid-19) em criança vinda de Hong Kong que apresentou sintomas similares da doença (febre, tosse e coriza). Após comunicada do caso, a Secretaria Municipal de Saúde realizou visita domiciliar no dia 18 de fevereiro, com profissionais paramentados, e colheu amostras da criança e as encaminhou para o IAL para a confirmação ou descarte da doença.

Todos os protocolos foram seguidos pelo Departamento de Vigilância em Saúde (Devig) de Santos e as informações repassadas ao Centro de Vigilância Epidemiológica (CVE), do Governo do Estado, e ao Ministério da Saúde, que incluiu na tarde desta quinta (20) o caso na Plataforma Integrada de Vigilância em Saúde, então confirmando o caso como suspeito, o que foi descartado logo na sequência pelo resultado do Adolfo Lutz.

A criança tem dois anos de idade, passa bem e está em isolamento social. Ela é chinesa, filha de pais brasileiros e desembarcou no Brasil com a família no dia 1º de fevereiro, em voo com escala em Amsterdam (Holanda) e chegada no aeroporto de São Paulo. Em seguida, eles estiveram em outras cidades do estado de São Paulo e chegaram a Santos na noite do último dia 6, onde residem familiares. No dia 16 de fevereiro - 16 dias após a chegada ao País – começou a apresentar febre e tosse. A febre persistiu até o dia 17.

De acordo com as recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS) e o Protocolo do Ministério da Saúde, são considerados suspeitos do covid-19 quem apresentar febre e, pelo menos, um sinal ou sintoma respiratório (tosse, dificuldade para respirar, batimento das asas nasais entre outros) e histórico de viagens para áreas de transmissão local nos últimos 14 dias anteriores ao aparecimento dos sinais ou sintomas ou contato com casos suspeitos e/ou confirmados da doença. Hong Kong, país que fica próximo da China, já registrou mais de 50 casos do covid-19 com duas mortes pela doença.


Profissionais participaram de simulado e capacitações


Desde o início da epidemia do covid-19, os gestores da Secretaria de Saúde de Santos se reúnem com representantes da área nas esferas estadual e federal e promove capacitações dos profissionais de saúde para atendimento de casos suspeitos. No último dia 11, mais de 300 profissionais da rede municipal de saúde foram orientados pelo médico infectologista Marcos Caseiro e equipe da Seção de Vigilância Epidemiológica (Seviep).

Os técnicos e gestores da secretaria também participaram, no dia 10, de capacitação no Grupo de Vigilância Epidemiológica (GVE), do governo estadual, e, no dia 12, de simulado de atendimento no Porto de Santos, coordenado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e Autoridade Portuária (SPA).

Na segunda (17), o Programa Saúde na Escola promoveu capacitação sobre medidas preventivas contra a doença, como importância da lavagem das mãos e higiene dos ambientes, para 40 orientadores pedagógicos da rede municipal, agentes multiplicadores das informações para as escolas. Na quarta (19), a mesma atividade foi promovida para cerca de 100 diretores e representantes de outras escolas públicas e particulares.

NAVIO

Após suspeita da doença em dois tripulantes do navio chinês Kota Pemimpim, que atracou no Porto de Santos na quarta (19), as autoridades de saúde realizaram inspeção sanitária e análise clínica dos 25 tripulantes. A investigação epidemiológica, coordenada pela Anvisa com apoio da Vigilância Epidemiológica do Estado e do Município, verificou que não havia mais pessoas doentes na embarcação e descartou a suspeita.