Conteúdo

A Tragédia de Lídice é tema de exposição na Casa do Trem Bélico

2 de outubro de 2018
17h 22

“Apesar do holocausto ter sido um momento muito triste da nossa história, estamos convencidos que ainda é preciso falar sobre isso. É nosso papel educar as pessoas para que barbáries como aquela nunca mais se repitam”. As palavras da cônsul-geral da República Tcheca em São Paulo, Pavla Havrlíková, resumem um pouco do que os visitantes da Casa do Trem Bélico (Rua Tiro Onze, 11, no Centro Histórico) podem ver na exposição A Tragédia de Lídice.

Na mostra gratuita, aberta nesta terça-feira (2), seis painéis apresentam fotografias e textos que registram a destruição do vilarejo Lídice, na República Tcheca, devastado por conflitos entre 1935 e 1945. O ápice da crueldade nazista se deu em junho de 1942, quando 340 moradores da pequena vila foram assassinados, sendo 88 crianças.

Além de marcar os 76 anos do acontecimento catastrófico, a mostra apresenta a atual Lídice, reconstruída e com o Memorial das Crianças Mortas em Guerra, obra da escultora Marie Uchytilová, reconhecida pela Unesco. Ainda como forma de homenagear as crianças, a exposição tem cinco painéis com desenhos feitos por estudantes brasileiros, participantes do Concurso Internacional Infantil de Artes Plásticas Lídice.

“O impacto daquela tragédia é tão grande que várias cidades no mundo têm nomes de praças e avenidas em homenagem ao vilarejo. No Brasil existem dois municípios com nome de Lídice, um no Rio de Janeiro e outro na Bahia”, explicou a escritora Maria Luiza Camargo Malina, curadora da exposição.

A mostra fica na Casa do Trem até o próximo dia 25, com visitação de terça-feira a domingo, das 11h às 17h. Entrada franca.

Fotos: Francisco Arrais 

Galeria de Imagens

fotos expostas #pracegover