Conteúdo

80 anos de Batman é tema de atividade na Gibiteca Municipal de Santos

5 de maio de 2019
22h 32

Personagem que partiu das histórias em quadrinhos para diferentes mídias, Batman completa oito décadas de existência este ano e foi tema de uma reunião de aficionados e estudiosos na tarde deste domingo (5) na Gibiteca Municipal Marcel Rodrigues Paes.

“Batman é o personagem que tem maior representação no cinema. Ele não faz parte do universo de Lego, mas aparece no segundo filme e funcionou muito bem”, lembrou a pesquisadora Laluña Machado, ressaltando que o Homem-Morcego também foi sucesso nos quadrinhos da Turma da Mônica e até como ninja no Japão. “Isso sem falar nas peças que estampavam sua marca, de embalagem para barras de chocolate a peças de vestuário, passando por conhecidas marcas de cereais. Tudo vendia muito bem”.

A pesquisadora diz que uma simples pesquisa no Google indica a existência de 306 produtos com a marca do morcego. “Andando pelas ruas, em apenas meia hora é possível ver de cinco a oito pessoas vestindo algo que remete a esse personagem”.

 

Pesquisa

Ela largou uma pesquisa sobre o império romano a partir da visão de Sêneca para abraçar o universo Batman no Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) da Faculdade de História, na Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, em Vitória da Conquista. Mudou-se então para Santos. O Observatório de HQ da Universidade de São Paulo aceitou sua pesquisa e ela apresentou o trabalho em abril do ano passado, na própria gibiteca.

Laluña diz que poderia ter se interessado por qualquer outro personagem de quadrinhos. Mas, ao assistir aos primeiros episódios do personagem, no seriado para o cinema, de 1943, acabou se apaixonando pelo tema e criando um grupo de pesquisa em HQ na Bahia.

 

Grupo de estudos

Já em Santos, graças ao apoio da Secretaria de Cultura (Secult), criou um novo grupo, que se reúne uma vez por mês na gibiteca, oferecendo também orientação para quem quiser trabalhar com HQ, inclusive em hospitais infantis e escolas – a reunião deste mês está marcada para o próximo dia 25. Dentre os integrantes do grupo, está a professora Sonia Luyten, da USP, especializada em mangá e pesquisadora há 50 anos de HQ.

Thalia Moreira, 21 anos, sabe muito bem o que é essa paixão pelo homem-morcego, que herdou do pai, Wellington. “Ele me fez gostar desse personagem”, comentou ela, uma das espectadoras mais atentas à apresentação da pesquisadora. Foi a amiga e xará Thalia Santos, da mesma idade, que a incentivou a participar da atividade de hoje. Curiosamente, a xará começou a assistir aos filmes do Batman, virou fã e só depois partiu para os HQ. “Aí não parei mais”.

 

Fotos: Raimundo Rosa

Galeria de Imagens