Conteúdo

Respeito pelas diferenças reúne mais de 70 patrulheiros em palestra

22 de novembro de 2013
14h 15

Violência é ausência de poder. Essa é a mensagem que ficou para mais de 70 adolescentes do Camps (Circulo do Amigo do Menor Patrulheiro), que assistiram nesta sexta-feira (22) à palestra ‘Considerações sobre violência doméstica’, da Coordenadoria de Políticas para a Mulher, ligada à pasta de Defesa da Cidadania. A ação, na sede da entidade (av. Washington Luiz, 2), faz parte da programação elaborada pela coordenadoria em referência ao Dia Internacional da Não Violência contra Mulher (25).

A coordenadora Diná F. Oliveira abordou a Lei Maria da Penha, as fases da violência e orientações da prefeitura, que chamaram chamou atenção de Thamyres Fileto, 16 anos, disposta a ajudar uma amiga envolvida nesse tipo de situação. “Não sei se ela vai me ouvir, mas vou falar dos serviços existentes para ela. A gente tem que fazer algo pelo outro”.

Diná também chamou atenção para discriminação pela orientação sexual e violência de gênero (praticada de um sexo sobre o sexo oposto). Na opinião do jovem Robert Matheus, 16, ainda há muito preconceito dos garotos em relação às meninas. “É comum ouvir que se sentem superior a elas. Mas mulher é igual ao homem e ainda é esposa, mãe, trabalha e cuida da família”. A próxima atividade será dia 25, às 9h, com a audiência pública ‘Delegacia de Defesa da Mulher’, na Câmara Municipal.

Conteudo do Portal de Educação

Para ver todas as novidades sobre "Autoestima" visite o Portal Educação