Conteúdo

Partos humanizados da Maternidade Silvério Fontes completam um ano

6 de junho de 2016
14h 56

Os primeiros partos normais realizados nas suítes PPP (pré-parto, parto e pós-parto) da Maternidade Silvério Fontes, também conhecidos como partos humanizados, completaram um ano. De lá para cá, mais de 720 mamães usufruíram de toda a estrutura, em um ambiente acolhedor.

Por meio de exercícios físicos, massagem e banho de chuveiro, por exemplo, as mulheres conseguem identificar a situação que melhor lhes dá conforto. A presença do acompanhante é bem vinda e também torna o momento mais especial.

Avaliação

Após nascer, o bebê é avaliado pela equipe médica e vai para os braços da mãe, por onde permanece por mais uma hora, geralmente quando realiza a sua primeira mamada. Depois desse período, é pesado e medido, seguindo para o alojamento conjunto ao lado da mãe até receber alta.

“Durante o pré-parto, a mãe pode se alimentar e ingerir líquidos. O profissional apenas dá assistência ao parto. Quem faz o parto é a mulher”, destaca Graziella Barbosa, enfermeira obstetra da Maternidade Silvério Fontes.

O fisioterapeuta Ary Fonseca Júnior trabalha há 21 anos com humanização do parto. Ele atua na Silvério com o objetivo de eliminar um desses três fatores que acometem as futuras mamães no momento de dar à luz: medo, tensão e dor. “Exercícios respiratórios e pélvicos devem ser orientados de forma correta e alongamentos podem ser realizados antes e depois do parto”, diz.

Saiba mais

A Maternidade Silvério Fontes possui três suítes Pappus, equipadas com cama eletrônica, que permite diferentes posições à mulher durante o trabalho de parto, além de objetos que auxiliam a atenuar as dores, como bola de pilates e cadeira de massagem.

O banho de chuveiro também é utilizado e as gestantes que se sentem bem de cócoras podem utilizar uma banqueta específica, que pode ser usada inclusive durante o nascimento. As suítes contam ainda com berços aquecidos por calor irradiante em temperaturas pré-programadas.

Protagonismo

Evidências científicas e experiências demonstram que a assistência ao parto focada no protagonismo da mulher torna o momento do nascimento muito mais especial e menos doloroso. A presença de um acompanhante também aumenta os indicadores de bem estar.

Esses e outros assuntos foram levantados no Simpósio da Semana de Conscientização do Parto Normal, realizado no final de maio pela Secretaria de Saúde com profissionais da área, tanto da rede pública quanto particular.

“É importante que o médico compartilhe com a mulher os motivos de cada conduta. O parto humanizado é aquele com práticas respeitosas à mulher e com profissionais que agem de acordo com a situação apresentada”, explica Rosemeire Sartori de Albuquerque, presidente da Associação Brasileira de Obstetrizes e Enfermeiras Obstetras do Estado de São Paulo.