Conteúdo

Ministro vem a Santos apresentar programa Internet para Todos

16 de dezembro de 2017
10h 59

O governo federal vai lançar, em janeiro de 2018, um programa que pretende garantir conectividade em banda larga a 40 mil locais em todo o País em 18 meses.

O Internet para Todos foi apresentado a prefeitos da Baixada Santista neste sábado pelo ministro de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, em encontro na manhã de sábado na TV Tribuna.

O programa será implantado gradativamente, a partir de janeiro, em 300 municípios entre os estados de São Paulo, Santa Catariana e Amazonas. O ministério já começa a receber as manifestações dos prefeitos que desejam participar. Os endereços já foram mapeados pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) como pontos sem acesso à rede mundial de computadores.

A conexão será feita por meio do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC). Para aderirem, os municípios precisarão oferecer um terreno para instalação da antena, segurança para o equipamento, assumir o custo da energia da transmissão do sinal e aprovar na Câmara a isenção do ISS para este serviço. “Para as prefeituras o Internet para Todos chega a custo zero, mas o ministério projeta um custo de R$ 30,00 aos munícipes”, explicou o ministro.

SANTOS        

O prefeito Paulo Alexandre Barbosa comentou que Santos está em uma fase avançada da era digital. A Cidade, que já tem 300 quilômetros em fibra ótica, esta semana concluiu o pregão que vai levar a mesma tecnologia a 400 quilômetros, garantindo a todos os equipamentos públicos a mais alta velocidade disponível. São cerca de R$ 10 milhões em investimentos. “Isso dará mais eficiência na prestação de serviços à comunidade”.  

Programa é viabilizado por satélite nacional

O programa Internet para Todos é viabilizado pelo primeiro satélite brasileiro, lançado em 4 de maio ao custo de R$ 2,7 bilhões. O aparelho está estacionado a 36 mil quilômetros da Terra, na altura do Equador e tem vida útil de 18 anos.

Esse satélite permite a cobertura de todo o País, inclusive oceanos Atlântico e Pacífico, o que vai garantir sinal de internet até nas plataformas marítimas da Petrobrás. O equipamento permitirá o uso na defesa nacional (como no combate ao contrabando, tráfico de armas e drogas), educação (com sinal de internet para 34 mil escolas rurais, em cinco anos), saúde (em 15 mil postos médicos em dois anos).

Foto: Raimundo Rosa