Você está aqui

Conteúdo

Santos 473 anos: cerimônias reverenciam história e desenvolvimento da Cidade

26 de janeiro de 2019
15h 28

ANDRESSA LUZIRÃO

 

Riqueza cultural e histórica, beleza natural, vanguarda, desenvolvimento e solidariedade. Essas foram as palavras mais entoadas neste sábado, 26 de janeiro, durante as tradicionais cerimônias comemorativas pelos 473 anos de Santos, que reuniram autoridades civis, religiosas, militares e políticos.

Realizadas na Praça da República, na Catedral e na Câmara, localizadas no marco simbólico do início do povoamento da Cidade – a Região Central, as solenidades foram marcadas pela reverência ao passado e ao presente e à expectativa do futuro, em discursos que sublinharam personalidades épicas da construção e do desenvolvimento do Município - de Braz Cubas, José Bonifácio, Saturnino de Brito e Quintino de Lacerda, a figuras públicas da história recente.

No Monumento a Braz Cubas (Praça da República), fundador de Santos, antes da deposição de flores, o prefeito Paulo Alexandre Barbosa ressaltou a importância da Cidade na história brasileira, mencionando qualidades e feitos como a construção da primeira Santa Casa do País, o maior porto da América Latina, o jardim da praia, a abolição da escravatura e o Santos Futebol Clube.

“Santos é uma cidade de superlativos. Hoje, nessa etapa da nossa história, quando retiramos do papel sonhos acalentados há décadas pela população, é preciso se inspirar na coragem e na luta desses homens e mulheres que contribuíram para o Município avançar. Estamos trabalhando para construir uma Cidade melhor, com mais igualdade e oportunidades, em especial para aqueles que mais precisam, com melhorias que possam transformar a vida das pessoas”, afirmou o prefeito. No ato cívico, não poderia faltar a também tradicional execução dos hinos nacional e de Santos, sob o comando da Banda de Música do Comando de Policiamento 6.

 

Na Catedral, mensagem de fraternidade

 

Durante missa em Ação de Graças, na Catedral, o bispo diocesano dom Tarcísio Scaramussa declarou que o momento é de gratidão e de renovar o compromisso de construir uma cidade fraterna. “Vamos agradecer a Deus por esta Cidade construída pelo trabalho de tantas pessoas que aqui dedicaram suas vidas. Que tenhamos força para construí-la cada vez melhor, com boa convivência, fraternidade, solidariedade, colaboração e paz, para o bem de nosso povo”.

O prefeito fez a leitura da segunda carta de São Paulo a Timóteo, enquanto o vice-prefeito, Sandoval Soares, as preces da assembleia. “As palavras sábias de São Paulo são muito apropriadas para o momento que a Cidade vive. É preciso ter coragem, espírito forte para enfrentar os desafios e amor por Santos, que é o que nos une”, acrescentou Barbosa.

 

LEGISLATIVO

Ao som do Quarteto de Cordas Martins Fontes, os 473 anos também foram comemorados pelo poder legislativo em sessão solene da Câmara. Em discurso emocionado, o presidente Rui De Rosis manifestou gratidão a todas as figuras históricas que, “por amor a esta terra, lutaram e contribuíram com o Município. Orgulho de ter nascido na terra da caridade e da liberdade”.

 

Fotos: Rogério Bomfim

 

 

Galeria de Imagens

A catedral vista do fundo para a frente, com o bispo proferindo missa no altar.  Ao fundo, o público sentado em bancos na nave da igreja. #Pracegover
O prefeito Paulo Alexandre Barbosa aparece em primeiro plano, `à direita da imagem e atrás de uma tribuna. Ele fala dirigindo-se ao público que está no auditório da câmara e em sua galeria. #Pracegover