Nove escolas ganham biblioteca e estudioteca tecnológicas

5 de julho de 2018
15h 51

Bibliotecas repaginadas com equipamentos digitais e criação de núcleos tecnológicos, chamados de estudiotecas são as novidades em nove escolas municipais que atendem oito mil alunos. Inseridas no projeto Escolas que Inovam, os novos espaços são dotados de tablets, notebooks, data show, ente outros equipamentos multimídia.

A entrega do primeiro recinto foi feita nesta quinta-feira (5), na escola Ayrton Senna da Silva (Campo Grande), uma das incluídas na iniciativa. As outras são Cidade de Santos e Florestan Fernandes (Embaré); José Carlos de Azevedo Jr. (São Manoel); Padre Leonardo Nunes (Castelo); Lourdes Ortiz (Aparecida); Pedro II (Ponta da Praia); Pedro Crescenti (Rádio Clube), e Vinte e Oito de Fevereiro (Saboó). Nelas foi realizado o projeto-piloto da Justiça Restaurativa, iniciado em 2015, novo modelo de mediação de conflitos, que visa a reparação do dano por meio do diálogo com todos os envolvidos, e não pela punição.  

As medidas de inovação do projeto Escolas que Inovam representam um investimento de R$ 2,7 milhões, viabilizados por parceria entre a Prefeitura e a empresa de logística VLI.

A estimativa é de que cinco escolas recebam os novos equipamentos até o final desta semana. As quatro outras devem estar finalizadas em setembro.

Na semana passada, a VLI também entregou novas salas e equipamentos para policlínicas num total de R$ 3,3 milhões em investimentos no setor de saúde.

Durante a entrega na escola, o prefeito Paulo Alexandre Barbosa agradeceu a parceria da empresa e informou que a intenção é dotar, até o final de 2020, todas as escolas municipais com estes equipamentos.

O presidente da VLI, Marcello Spinelli, falou sobre a iniciativa da empresa. “Temos uma vontade genuína de fazer o bem e fazer bem feito. Hoje sinto-me realizado pessoal e profissionalmente. Obrigado pela oportunidade”.   

Na cerimônia, o juiz da Vara da Infância e Juventude e do Idoso de Santos, Evandro Renato Pereira, foi homenageado como embaixador da Justiça Restaurativa na Cidade. O evento também teve apresentação de ginástica artística e da banda marcial da Ayrton Senna.

  

NÚCLEO DE EDUCAÇÃO PARA A PAZ

Na ocasião, também foi inaugurado o Núcleo de Educação para a Paz, na Secretaria de Educação, com a presença do juiz da 1ª Vara da Infância e Juventude de São Paulo, Egberto Penido, e apresentação do Coral Céu da Boca. O local funcionará como centro de referência da Justiça Restaurativa, com capacitações e atendimentos para prevenção e resolução de conflitos no ambiente escolar das nove escolas.   

“É uma grande conquista, um convite ao diálogo e à cultura da paz, feito por meio da Justiça Restaurativa, hoje política pública do Município”, comemorou o secretário de Educação, Carlos Mota.

 

CAPACITAÇÃO

O projeto Escolas que Inovam contemplará cada biblioteca com 35 tablets, uma TV 55', quatro notebooks, fones de ouvido e uma impressora. Já cada estudioteca terá 20 notebooks, equipamentos de áudio (microfone, caixa de som, fone de ouvido, duplicador P2), duas câmeras de vídeo e foto e um projetor.

Para o melhor uso das salas, estão previstas 108 horas de capacitação divididas em cinco frentes: Gestão e Liderança, Comunicação Não Violenta, Replicabilidade do Projeto, Uso de Equipamentos e Uso do Espaço. As três primeiras já foram realizadas (80 horas). Uso de Equipamentos e Uso do Espaço serão feitas no segundo semestre.

 

“Veio ao encontro do que queríamos”, diz aluno ouvidor

 

Os alunos da Ayrton Senna ficaram empolgados com os novos aparelhos multimídia. “Curto muito tecnologia. É inovador poder estudar, tirar dúvidas e interagir com os professores por meio destes equipamentos”, comemorou o aluno ouvidor Vinícius Reis, 14. “Veio ao encontro do que queríamos para a escola”, completou ele.

Seu colega Pedro Petenucci, 14, disse que agora vão poder pesquisar no Google e baixar aplicativos, facilitando o aprendizado. Ingrid Maria de Souza Lima Pontes, 14, fez questão de conferir os espaços. “Vai ajudar muito no aprendizado e também gostei dos móveis e da organização das prateleiras da biblioteca”. Já Laiza Morena Costa e Dutra, 13, destacou que o mais importante é que será um benefício para as próximas gerações.

“A escola ficará mais perto da realidade”, ressaltou a diretora Liliane Poncidoro Rodrigues, informando que a unidade possui 587 alunos de 6º a 9º anos.  

O chefe da Seção de Biblioteconomia da Seduc, Rodrigo Estevam, lembrou que, além do incentivo à leitura, a novidade vai ensinar os estudantes a lidar com o 'oceano' de informações que circula atualmente, onde achá-las e como identificar se são verdadeiras.   

 

Fotos: Susan Hortas

 

 

Galeria de Imagens

Feedback

Ajude-nos a tornar o Santos Portal melhor. Deixe um comentário, dúvida ou sugestão.