Conteúdo

Cultura hip hop invade Vila Criativa para discutir direitos humanos. Confira o vídeo

8 de dezembro de 2018
21h 18
Jovens fazem performance de hip hop. Alguns estão deitados no chão, de lado, com os joelhos encolhidos. Um deles está no centro, de cabeça para baixo, apenas com a mão direita no chão e o corpo para o alto. #Pracegover

A voz da periferia. O lugar da fala. Foi no que se transformou a Vila Criativa da Vila Nova neste sábado (8), quando a cultura hip hop ‘invadiu’ o equipamento para mostrar sua importância no combate à discriminação racial e à desigualdade social e na discussão sobre os direitos humanos. Música, dança, poesia e roda de conversa marcaram o evento, que também teve o intuito de celebrar os 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos.

Teve duelo de rimas com MC's da Baixada Santista e de breaking, apresentação de dança urbana e slam, discotecagem e show de bandas participantes do Festival de Juventude. A performance de dança Direto ao Assunto, do grupo Mad Feeling Crew, da região do Mercado Municipal, mostrou a realidade da periferia e o potencial transformador do hip hop.

O bate-papo contou com a participação de profissionais envolvidos em projetos e políticas públicas para a infância e a juventude, entre eles a professora da rede municipal Luisa Paula Ferreira de Mendonça. Ela atua em um projeto de cultura marginal periférica, com ênfase na poesia falada, modalidade slam, na escola municipal José da Costa e Silva Sobrinho (Piratininga), um dos vencedores do Prêmio Educador Santista deste ano.

“Ao mostrar esse projeto aqui trabalhamos o lugar de fala dos alunos. Eles não precisam de intérpretes para falar sobre suas realidades. Eles podem falar sem interlocutores. Isso é importante para a formação integral deles”, disse ela.  

Estudante da unidade e participante do projeto, Michelle dos Santos Souza, 14 anos, apresentou a poesia 'Menina', de sua autoria, no slam, competição de poesias faladas. “Quis passar o que acontece na periferia e em outros lugares. É o que eu sinto vendo acontecer, uma forma de me expressar”. A iniciativa foi da Coordenadoria de Políticas para a Infância e Juventude, da Secretaria de Desenvolvimento Social.

 

Fotos: Rogério Bomfim

 

Galeria de Imagens

Jovens fazem performance de hip hop. Eles dançam em pé. O público assiste. #Pracegover