Conteúdo

Centro de atendimento ao turista será entregue neste semestre

11 de fevereiro de 2019
14h 57

O Centro de Atendimento ao Turista e de Comércio de Artesanato da Zona Noroeste, conhecido como camelódromo, está com 55% das obras concluídas e deve estar em pleno funcionamento no 1º semestre do ano. Com 526m² de área construída em edifício térreo, o equipamento, antiga reivindicação dos comerciantes locais, é erguido na Praça Bruno Barbosa s/nº, no Castelo.

Serão 38 boxes, além de duas lanchonetes, três sanitários, sendo um para pessoas com deficiência, mais administração, depósito e sala para o Posto de Informação Turística. O projeto prevê a construção de sistema de aproveitamento de águas pluviais. A obra é concluída pela Ecovias, com investimentos de R$ 1.429.047,39, como parte do Termo de Responsabilidade de Implantação de Medidas Mitigadoras e Compensatórias das obras da entrada da Cidade. Nesta segunda-feira (11), os trabalhos estavam concentrados no reboco das paredes e na instalação das redes elétrica e hidráulica. Em fase de acabamento, funcionários também trabalham na instalação de portas, venezianas, implantação da cobertura final e na fachada, voltada para a Rua José Alberto de Luca. “Os comerciantes terão aqui um lugar com mais dignidade para trabalhar e a população vai poder circular e fazer suas compras. Será um grande centro do comércio popular da Zona Noroeste, gerando emprego, renda e oportunidade para quem mais precisa”, afirmou o prefeito Paulo Alexandre Barbosa durante vistoria pela manhã, acompanhado de técnicos da Prefeitura, da Ecovias e de vereadores.

Presidente da Associação do Comércio Popular da Zona Noroeste, Edinaldo dos Santos também ressaltou que o equipamento dará dignidade aos comerciantes e comodidade aos clientes. “Quando chove, a gente sai correndo. Minha barraca mesmo já quebrou três vezes por causa do vendaval. A gente perde mercadoria. Então, esse espaço será importante para trabalharmos sossegados, sem preocupação, e para o freguês comprar seus produtos com proteção”.

Há mais de dez anos, os 38 comerciantes que fazem parte da Associação do Comércio Popular da Zona Noroeste montam suas barracas em frente à escola municipal Cely de Moura Negrini, na Praça Prof. José Oliveira Lopes. Antes disso, eles atuavam na calçada da Avenida Álvaro Guimarães, uma das principais vias do comércio da região.

Fotos: Isabela Carrari

Galeria de Imagens

operário está na obra olhando plantas #pracegover