Conteúdo

Segunda etapa do alegra centro é lançada nesta quinta-feira (4)

3 de novembro de 2004
0h 00

Nesta quinta-feira (4), às 9h30, na sede da Associação Comercial de Santos (Rua XV de Novembro, 137, Centro Histórico) será lançada a segunda etapa do Programa de Revitalização e Desenvolvimento da Região Central Histórica de Santos, o Alegra Centro. Durante a 15ª reunião ordinária do Conselho de Desenvolvimento Econômico de Santos (CDES), representantes da Secretaria de Planejamento (Seplan) irão apresentar novas formas para a busca de parcerias com a iniciativa privada que visam o estabelecimento de operações de restauração e utilização dos 840 imóveis históricos inseridos em Área de Proteção Cultural. Essas edificações estão enquadradas nos Níveis de Proteção 1 (imóveis a serem preservados interna e externamente) e de Proteção 2 (imóveis com proteção parcial, incluindo apenas as fachadas, a volumetria e o telhado) que têm direito a isenções fiscais previstas no Programa Alegra Centro. O início da segunda etapa do Alegra – que também contará com o lançamento de um folheto explicativo do Programa de Revitalização – conta com a parceria da Associação Comercial de Santos (ACS), Câmara de Dirigentes Lojistas de Santos (CDL), Sindicato do Comércio Varejista da Baixada Santista e Associação dos Empresários da Construção Civil da Baixada Santista (Assecob). EXPOSIÇÃO Integrando as ações da segunda etapa do Alegra Centro, será lançada uma exposição com painéis sobre o Centro Histórico, além da exposição dos prêmios recebidos este ano: O Melhor de Viagem e Turismo, na categoria Mérito de Recuperação, instituído pela Revista Viagem da Editora Abril e o Prêmio Especial de Reabilitação, concedido pela Revista Guia 4 Rodas/2005, também da Editora Abril. LEI O Programa Alegra Centro, transformado em Lei Complementar nº 470/2003, é a união de uma série de ações voltadas à retomada do desenvolvimento econômico e social do Centro e, conseqüentemente, de toda a Cidade. O Programa dá apoio à instalação de novas empresas através de iniciativas voltadas à diversificação de atividades como o comércio, entretenimento e turismo – possibilitando o fluxo de pessoas e o uso da região central por 24 horas – em conjunto com a valorização da paisagem urbana e da recuperação do Patrimônio Histórico.