Conteúdo

Saúde mental tem dia especial

17 de maio de 2001
0h 00

Santos estará participando ativamente, hoje (18), por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), do ´Dia Mundial da Luta Antimanicomial´, um movimento de reforma psiquiatra iniciada em todo o mundo há cerca de dez anos. O Município, pelo trabalho desenvolvido dentro do Programa de Saúde Mental, vem se destacando em todo o País pelos resultados obtidos junto aos pacientes fora dos hospitais. Para marcar da data, a Coordenadoria de Saúde Mental, programou uma mesa-redonda para discutir o tema ´Construção do Espaço Terapêutico para Famílias de Pessoas em Sofrimento Psíquico Grave´, com a participação da professora Cecília Cruz Villares, da Escola Paulista de Medicina e mestre em Saúde Mental. O encontro, que reunirá profissionais da área de saúde mental será, às 14 horas, na Faculdade de Serviço Social (Av. Conselheiro Nébias, 595), também terá uma palestra com o coordenador da Saúde Mental que falará sobre o aprimoramento do sistema. Ainda como parte das comemorações, haverá uma exposição de fotos feitas durante a realização da ´Semana da Saúde Mental´, que aconteceu no mês de abril. São fotografias tiradas utilizando a técnica da lata. A mostra conta com apoio da Secretaria de Turismo (Setur) e Fundação Arquivo e Memória. Na parte da manhã, às 10 horas, a Seção Núcleo de Apoio ao Tóxicodependente (Senat) realizará uma palestra com o psiquiatra Osmar Souto Pinheiro, que falará sobre ´Dependência Química´. O encontro é aberto à população e acontece, às 10 horas, no ambulatório do Senat, à Rua Paraíba, 110. SAÚDE MENTAL O Programa de Saúde Mental da Secretaria Municipal de Saúde tem matriculadas 16 mil pessoas, sendo que 7 mil utilizam o sistema que dispõe de cinco Núcleos de Apoio Psicossocial (Naps). As unidades, localizadas em diferentes bairros do Município atendem às pessoas com sofrimento psíquico, garantindo os direitos de cidadania, através de atendimentos de emergência psiquiátrica, acompanhamento ambulatorial, hospitalidade integral, diurna e noturna, além de dispor de oficinas terapêuticas e atividades comunitárias, envolvendo também a família do paciente, com terapias grupais. Além disso, o serviço oferece atendimento domiciliar. O programa conta com 30 leitos de retaguarda, sendo seis em cada Naps. A área de Saúde Mental é reconhecida ainda pelas atividades desenvolvidas pela Seção de Reabilitação Psicossocial, que trabalha com os usuários do programa, encaminhados pelos Naps, e que tem por objetivo desenvolver frentes de trabalho com geração de renda aos pacientes, como forma de terapêutica. Os projetos desenvolvidos são viabilizados através de convênios e parcerias com órgãos públicos e com a iniciativa privada. A equipe técnica é composta por psicólogos, assistentes sociais, acompanhante terapêutico, jardineiro e monitores, que atuam como reabilitadores na área psicossocial. O objetivo é resgatar a cidadania, através de grupos operativos, onde são trabalhados inicialmente aspectos ligados à higiene pessoal, relacionamento interpessoal e auto-estima, para depois serem inseridos nas oficinas de trabalho. Observa-se que os usuários que integram os projetos de trabalho possuem raros momentos de crise. Entre os projetos de geração de renda desenvolvidos pela Serp destacam-se: Projeto Terra: Realiza serviços de jardinagem e manutenção em praças, localizadas em diversos bairros da Cidade; Estufa - Plantação, cultivo e comercialização de plantas ornamentais e medicinais; Lixo Limpo - Separação de lixo reciclável.