Conteúdo

Jovens do Instituto Querô em Santos produzem documentários

5 de julho de 2019
16h 55

Os 40 jovens das Oficinas Querô 2019, cuja sede está instalada na Vila Criativa da Vila Nova (Praça Rui Ribeiro Couto s/n° - segundo andar), se preparam para filmar os três documentários do ano. Os temas escolhidos são: adoção, minicorrupções do cotidiano e ativismo feminino. As gravações ocorrem até o próximo dia 16.

Os trabalhos são as primeiras produções dos alunos da turma do primeiro ano, que estão há quatro meses recebendo aulas de imersão documental e capacitação audiovisual. Os roteiros foram escritos pelos próprios jovens, com idades entre 14 e 18 anos, ao lado de profissionais do cinema nacional.

O documentário ‘Mar-celo’, com direção de Camilla Pereira e Mayara Bonifácio, de 18 anos, conta a história do Marcelo Dias, que descobriu de uma forma inusitada que era adotado. Já ‘E aí, tem jeito?’ tem direção de Dayana Santos, de 19 anos, e Luana Marques, de 18, e aborda as minicorrupções que os brasileiros cometem no cotidiano (“jeitinho brasileiro”).

O documentário ‘Mulheres de Fé’, com direção de Gessé Belo, de 18 anos, e Bruna Santos, de 19, conta a história de diferentes mulheres que, independentemente de suas crenças e religiões, lutam pelo empoderamento feminino na sociedade.

Com mais estes três curtas-metragens, o Instituto Querô soma 118 obras audiovisuais produzidas em 13 anos de história. Até aqui, foram 70 prêmios conquistados em festivais, por mais de 400 jovens capacitados nas oficinas. O projeto tem parceria com a Prefeitura e patrocínio do Banco Votorantim, CMOC Internacional Brasil, Petrocoque, Brasil Terminal Portuário e Thyssenkrupp.

  

AS OFICINAS QUERÔ

Projeto social do Instituto Querô é formado por jovens de 14 a 18 anos, de baixa renda, da Baixada Santista. No primeiro ano de curso, 40 jovens têm o primeiro contato com o cinema, passando por atividades de formação em produção audiovisual e formação cidadã, transformando suas realidades por meio do cinema. Os jovens também passam por atividades de empreendedorismo e cidadania, dando voz à juventude para que produzam suas próprias histórias e transformem a realidade social em que estão inseridos.