Conteúdo

Festival do Imigrante: libanês segue o caminho dos irmãos e vira dono de loja de móveis em Santos

1 de outubro de 2019
8h 55

O libanês Hassam Mohamed Abdul Rahim, hoje com 69 anos, seguiu a tradição de milhares de imigrantes árabes que desembarcaram no Brasil: acompanhando os irmãos já estabelecidos aqui, dedicou-se ao comércio e abriu uma loja de móveis, que foi a base para constituir a família em Santos, onde chegou em 1972. O comerciante tem forte ligação com a Cidade, onde, a partir desta sexta-feira (4), será realizado o 1º Festival do Imigrante, com inúmeras atividades no Centro Histórico.

 

Rahim garante que não foi fácil deixar o Líbano. Mas saber que se juntaria aos três irmãos mais velhos foi um alento. Desembarcou aos 22 anos no Rio de Janeiro e seguiu para a Bolívia. ‘’Foi lá que consegui autorização para ficar definitivamente no Brasil’’, lembra. Dois anos depois, a esposa, também libanesa, mudou-se para o País.

O comerciante trabalhou por 15 anos com um dos irmãos, que já tinha uma loja de móveis na Cidade. Até que decidiu ter o negócio próprio e alugou um comércio em Praia Grande. Em 1991, abriu sua loja em Santos, em um prédio que construiu no bairro Aparecida.

 

Foi em Santos que nasceu o filho Rami, que lhe deu três netos. Um deles, Samy, trabalha na loja de móveis. Nas férias, o Líbano é destino certo de Rahim, que aqui mantém os laços com a comunidade nos encontros realizados na Mesquita Islâmica. ‘’Eu gosto de Santos, minha vida é aqui. Mas lá está minha terra’’.

 

FESTIVAL



Com programação até domingo (6), o 1º Festival do Imigrante prestigiará 10 comunidades: africanos, alemães, árabes, espanhóis, italianos, ingleses, franceses, gregos, japoneses e portugueses. A agenda inclui shows, oficinas, espetáculos teatrais e uma feira gastronômica. A colônia árabe confere, no sábado (5), às 14h, a apresentação do Studio Osíris de Danças, escola santista fundada há 12 anos.

 

Santos, a maior porta de entrada de imigrantes do Brasil 

Portugueses 

Gregos 

Japoneses