Conteúdo

EJA apresenta projeto Box Maker em evento na Unicamp

13 de novembro de 2018
14h 37

O projeto Box Maker, desenvolvido na Educação de Jovens e Adultos (EJA) pelo Município foi apresentado no evento Hack Make Explore, realizado pelo Museu Exploratório de Ciências da Unicamp, nesta segunda-feira (12).

O trabalho, da área de computação física, ensina tecnologia e desenvolve criatividade, raciocínio, pensamento coletivo e concentração. As atividades são desenvolvidas uma vez por semana nas escolas Leonardo Nune (Castelo), Dino Bueno (Encruzilhada) e Mário de Almeida Alcântara (Valongo).

De acordo com a responsável pela iniciativa na Secretaria de Educação e também professora do projeto, Kelvia Ronqui, a participação no evento universitário “reafirma que a cultura maker pode ser desenvolvida em qualquer segmento da educação e ainda utilizando baixo investimento”.

A cultura maker considera que qualquer pessoa pode mudar ou criar objetos e produtos capazes de representar uma inovação em empresas, escolas, projetos sociais ou outras atividades. A iniciativa santista utiliza materiais reciclados, placas de arduíno e componentes eletrônicos com valor acessível.

O Box Maker foi apresentado em Campinas pelos professores Felipe Falasca e Caroline Neves e pelo aluno Matheus Rodrigues dos Santos, da escola Leonardo Nunes, todos da Educação de Jovens e Adultos. Pelo projeto, os alunos podem integrar os conhecimentos escolares e encontrar significado neles.

Durante as aulas são levantadas questões reais para que os participantes possam refletir sobre soluções, como sistema de monitoramento de deslizamentos dos morros, sensores de iluminação acionados mediante movimento de pedestre em pontos de ônibus e captação de resíduos nas bocas de lobo.

Para o professor Felipe Falasca, a oportunidade de mostrar o trabalho “desenvolve a autoestima e mostra aos alunos que eles são capazes de ir além”. O aluno Matheus Rodrigues dos Santos, 17 anos, falou sobre a experiência. “A cada dia me envolvo mais com o projeto e hoje já penso em fazer carreira nesta área tecnológica”, revelou. O planejamento da Seduc para 2019 é aplicar o projeto em todas as unidades que atentem EJA.

Foto: Raimundo Rosa/Arquivo