Conteúdo

Santos é a cidade mais eficiente do Estado de São Paulo

25 de outubro de 2017
14h 05

Segundo o Índice de Efetividade da Gestão Municipal (IEG-M), do Tribunal de Contas do Estado (TCE), Santos é a cidade mais eficiente do Estado.

O levantamento mede a qualidade dos gastos e avalia as políticas e atividades públicas das gestões dos 644 municípios de São Paulo, excluindo a Capital.

O IEG-M é dividido em sete indicadores - educação, saúde, planejamento, gestão fiscal, meio ambiente, proteção aos cidadãos e governança em tecnologia da informação -, analisados mediante o estudo de 230 quesitos. É uma ferramenta para que as gestões municipais aprimorem suas políticas públicas, seu planejamento e realizem eventuais correções de rumos.

Conceitos

Cada indicador e as cidades em geral são avaliados por cinco conceitos: A (altamente efetiva), B+ (muito efetiva), B (efetiva), C+ (em fase de adaptação) e C (baixo nível de adequação).

Santos obteve um conceito geral de B+, índice conquistado por apenas 12% das cidades paulistas. Com a liderança, o Município teve sua gestão melhor avaliada que importantes centros econômicos, como São José dos Campos, São José do Rio Preto, Campinas, Ribeirão Preto, São Caetano, Guarulhos e São Bernardo.

A administração santista obteve conceito A em saúde, meio ambiente, proteção ao cidadão e governança em TI. A Cidade não obteve nenhum conceito abaixo de B. Vale ressaltar que a Prefeitura adota instrumentos próprios de avaliação da gestão, como o programa Eficiência Total e o Participação Direta nos Resultados (PDR).

Saúde

A nota A em saúde de Santos foi atribuída com ênfase na atuação da Prefeitura na Atenção Básica, Saúde da Família, Conselho Municipal de Saúde e atendimento à população para o tratamento de doenças como tuberculose, diabetes, hipertensão, além da cobertura das campanhas de vacinação e de orientação. Uma gestão considerada altamente efetiva em meio ambiente garantiu o segundo A de Santos. Este índice analisa dados relativos a resíduos sólidos, educação ambiental, estrutura ambiental e conselho da área.

Já o A no indicador “I-cidade” reflete as ações do planejamento santista na proteção da população frente a possíveis desastres. Reúne informações sobre os planos de contingência, identificação de riscos para intervenção do poder público e a infraestrutura da Defesa Civil. Na governança em tecnologia da informação, apenas Indaiatuba, Lucianópolis, Marília, Bauru, Lençóis Paulista e Taboão da Serra se juntaram a Santos no conceito A. Este índice reflete as políticas no uso da informática, segurança da informação, capacitação do quadro de pessoal e ações de transparência pública.

Confira as 10 melhores do IEG-M

1 – Santos

2 – Quadra

3 - Torre de Pedra

4 – Macatuba

5 – Indaiatuba

6 – Vinhedo

7- Santa Cruz do Rio Pardo

8 – Orlândia

9 – Lucélia

10 – Tietê