Conteúdo

Cine Arte, uma referência para filmes de qualidade

23 de janeiro de 2012
20h 00

Para os cinéfilos que apreciam filmes alternativos e independentes de várias nacionalidades, que não chegam às salas de exibições comerciais, o Cine Arte Posto 4 é a referência cultural da cidade. No espaço, ligado à Coordenadoria de Cinemas da Secult (Secretaria de Cultura), são exibidos cerca de 60 filmes por ano em três sessões diárias, às 16h, 18h30 e 21h. Instalado na Avenida Vicente de Carvalho s/nº, ao lado do canal 3, também se caracteriza pelos ingressos acessíveis: R$ 3,00 inteira e R$ 1,50 meia.

Cerca de 2.500 pessoas frequentam mensalmente o espaço, onde às sextas-feiras sempre entra em cartaz um novo longa-metragem. Com 48 lugares, potente sistema de som e projeção em película 35 mm, sanitários, ar condicionado e entrada para cadeirantes, o Cine Arte é uma das 80 salas de cinema alternativo do país, segundo a Coordenadoria de Cinemas.

No local também são promovidas mostras, como ciclos de cinema francês e africano. Além disso, já foi uma sala de exibição de filmes de importantes eventos como Mix Brasil, Festival Sesc dos Melhores Filmes e Festival de Comédias Contemporâneas da Embaixada da França, entre outros.

Com diferentes temáticas e gêneros para todos os gostos e idades, na tela destacam-se filmes de ação, drama e suspense, como o chinês 'A árvore do amor', o francês 'Copacabana' e o premiado brasileiro 'Estamira'.

Amante da sétima arte, o produtor cultural Júnior Brassalotti, 32 anos, frequenta o Cine Arte desde que foi inaugurado pela prefeitura, em novembro de 1991. Ele mostra boa memória ao lembrar que o filme de estreia foi 'Asas do Desejo', do cineasta alemão Win Wenders, ganhador do prêmio de direção no Festival de Cannes, em 87.

“O posto 4 é tradição santista e com cenário de praia deslumbrante atrás. Às vezes nem sei qual é o filme, mas vou, pois sei que tem qualidade”, disse ele, contando que o Cine Arte o ajudou a gostar da cinematografia. “É um local que me deu acesso a este tipo de filme, que é mais obra de arte, para reflexão e mudança de pensamento”.

Também não é de hoje que a santista Gisele Petty, 31, 'marca presença' no espaço. Residente em São Paulo, onde atua como atriz e bailarina, afirma que desde o colegial assiste filmes no Cine Arte e, atualmente, sempre que desce à serra vai ao local. “Vou caminhar na praia e aproveito para ver o que está sendo exibido. Já é um ritual”. O longo mais recente que assistiu foi 'Copacabana', em dezembro. “Também adorei 'Invasões Bárbaras' e os filmes iranianos. O ingresso é acessível e a proposta bem bacana”.

'É minha segunda casa'
Na sala de projeção restaurada pela prefeitura, que leva o nome do crítico santista Rubens Ewald Filho, trabalha há 20 anos Clóvis Ferreira da Silva, 60, como operador cinematográfico, profissão em extinção em razão dos crescentes avanços da tecnologia. Na função, tem todo o cuidado para não estragar o filme e observa com atenção se o enquadramento e o foco estão corretos na tela.

Mas, além de operador, diz que também é bilheteiro. “O que precisar eu faço”, afirmou ele, que se considera um dos fundadores do espaço. “O Cine Arte é a minha segunda casa. Tenho um carinho especial por este lugar e ainda adquiro conhecimento em cada filme.

Quem quiser sugerir longas pode enviar e-mail para posto4@santos.sp.gov.br. A programação está no portal da prefeitura (www.santos.sp.gov.br), link Cine Arte (lado direito da tela) ou direto no site www.cinearteposto4.com.br. Outras informações: 3288-4009.