Casa da Frontaria Azulejada

Há uma casa no número 93 da Rua do Comércio que merece ser conhecida de perto por todos nós, santistas, pelo valor histórico e cultural que abriga em sua construção. É a Casa da Frontaria Azulejada que passa por processo de restauração e abriga o Arquivo Público Municipal da Prefeitura.

Ela foi construída em 1865 pelo comendador Manoel Joaquim Ferreira Netto, um bem sucedido comerciante de café. Em estilo neoclássico, esta casa especial tem como característica marcante os azulejos azuis e amarelos portugueses em alto relevo confeccionados a mão.

Na época a aplicação dos azulejos tinha a finalidade de assegurar a vedação eficiente da parte frontal do imóvel e evitar muitas pinturas. Pedras, óleo de baleia, saibro, pisos e forros de madeira também fizeram parte da construção. Desde que foi erguida a Casa da Frontaria Azulejada serviu como hotel, escritório e estoque de materiais como entulho, adubo e fertilizantes.

Infelizmente foi deteriorada e perdeu muitos dos azulejos originais até o tombamento na década de 70. Pertencentes à Fundação Arquivo e Memória,tanto a casa quanto o arquivo estão abertos de segunda a sexta-feira, das 9 às 12 horas e das 14 às 17h30.


< Voltar