Conteúdo

Turma do restaurante-escola santista santista assiste a aula de alimentação sustentável

10 de junho de 2019
16h 44
Alunos estão no curso e em primeiro plano vários doces #pracegover

Camilla Costa

Um café da manhã repleto de novidades em sabor e tendências gastronômicas abriu a semana dos alunos do curso do Estação Bistrô Restaurante-Escola, nesta segunda-feira (10). A intenção da iniciativa, realizada no Jardim Botânico Chico Mendes e oferecida pelo Núcleo de Saúde, Bem-Estar e Sustentabilidade do parque, foi estimular o interesse dos jovens pelos novos nichos de mercado e para o olhar mais crítico sobre a produção dos alimentos.

Eles experimentaram bolos de chocolate e de limão sem ovos e leite, banana orgânica e até folhas de ora-pro-nobis, considerada uma das plantas alimentícias não convencionais (panc’s), capaz de substituir a carne pelos nutrientes oferecidos.

Sendo tudo aprovado e consumido rapidamente, foi finalizada a primeira parte do encontro para começar a segunda, repleta de informações com bate-papo e caminhada pelo parque para conferir a facilidade em cultivar hortaliças, temperos, ervas e até raízes.

Com esta vivência no Botânico, a bióloga do parque Carla de Andrade Paschoal destacou o veganismo, a alimentação vegetariana e a intolerância ao glúten e à lactose, que se apresentam como uma outra vertente de negócios para os futuros profissionais. “É importante que eles cheguem ao mercado com diferenciais e neste encontro atentamos para alimentação mais natural. As panc’s são muito nutritivas, por exemplo, e no parque eles conheceram algumas delas”, disse a bióloga.

NOVOS HÁBITOS

A possibilidade de produzir alimentos de qualidade dentro da Cidade foi um dos pontos falados pela pesquisadora em permacultura, Andréia Previato Botelho, que ressaltou a pouca quantidade de espaços dedicados a essa atividade em Santos e a proposta de conseguir outras opções de plantio, além da ornamental, com adaptação dos jardins que já existem. “As pessoas podem fazer isso em casa, plantando nos vasos, jardineiras ou canteiros de acordo com o que têm disponível. Com um vaso grande é possível produzir até batata doce dentro de casa”.

Um dos alunos que saiu eufórico com a diversidade de informações foi Augusto César da Silva, 26 anos, que já possui experiência no ramo gastronômico e, até então, sem visão alguma sobre as novas opções de mercado. “O dia foi maravilhoso, vimos muita coisa diferente. Não tínhamos noção do que é possível fazer em casa. Percebemos, por exemplo, que a carne é um complemento da refeição e de vegetarianos todos temos um pouco”.

Para ele, a experiência do dia torna-se mais uma possibilidade de atuação. “São poucos lugares que oferecem esse tipo de alimento e o campo para profissionais que sabem atuar nessas áreas está crescendo”, disse Silva animado. Os jovens foram acompanhados pela operadora social da Secretaria de Desenvolvimento Social, Andrea Rodrigues Ferreira.

Saiba mais

Fruto de parceria entre a Universidade Católica de Santos e a Prefeitura, o restaurante-escola trabalha na inclusão de jovens de 18 a 29 anos em situação de vulnerabilidade social. Eles aprendem a desenvolver pratos elaborados por chefs de cozinha, a partir de um rodízio semanal em diferentes setores do restaurante. Também passam por avaliações periódicas e desenvolvem diversas habilidades, entre elas identificação de mercadorias, enologia e bebidas, fundamentos de confeitaria e panificação e da culinária no preparo de cozinha quente e fria.

Fotos: Susan Hortas 

Galeria de Imagens

alunos cortam pedaços de doces na mesa #pracegover

Feedback

Ajude-nos a tornar o Santos Portal melhor. Deixe um comentário, dúvida ou sugestão.