Conteúdo

Projeto Escolas que Inovam é reconhecido em prêmio de arquitetura

12 de dezembro de 2018
16h 21

O projeto arquitetônico implantado em nove escolas municipais, através do ‘Escolas que Inovam’, recebeu menção honrosa na 75ª Premiação IABsp, promovida, no último dia 6, em São Paulo, pelo Instituto dos Arquitetos do Brasil, departamento São Paulo.

O projeto foi fruto de parceria entre a Prefeitura, empresa VLI Logística e Grupo Tellus, que realizou o design. O arquiteto Diogo Cavallari, que desenvolveu o projeto ao lado dos colegas Isadora Almeida, Victor Berbel e Paulo Catto, da AUÁ arquitetos, explica que receber o reconhecimento por um trabalho na área de educação traz uma satisfação ainda maior.  “A educação é o nosso foco e receber o reconhecimento por um trabalho realizado em uma unidade pública é estimulante, pois, normalmente, a categoria que ganhamos (design de interiores) é vencida por projetos particulares, com muito investimento financeiro”.

INOVAM

Mais de 8 mil alunos são beneficiados pelo projeto Escolas que Inovam, que foi implantado em nove escolas municipais: Ayrton Senna da Silva (campo Grande), Cidade de Santos e Florestan Fernandes (Embaré); José Carlos de Azevedo Jr. (São Manoel); Padre Leonardo Nunes (Castelo); Lourdes Ortiz (Aparecida); Pedro II (Ponta da Praia); Pedro Crescenti (Rádio Clube) e Vinte e Oito de Fevereiro (Saboó).

Cada uma das unidades ganhou dois espaços, biblioteca e estudioteca, desenvolvidos a partir de reuniões entre os arquitetos da AUÁ, grupo Tellus, representantes da Secretaria de Educação (Seduc), diretores e professores.

As bibliotecas foram remodeladas com o propósito de oferecer um espaço mais aconchegante e atrativo para os alunos, com lugar para leitura informal, reorganização do mobiliário e dos livros e acervos informatizados.

As estudiotecas funcionam como núcleos tecnológicos e foram elaboradas com o objetivo de suprir a demanda por um espaço para estudos, pesquisas e planejamento de aulas.

Os projetos foram viabilizados por meio de um convênio de R$ 6 milhões firmado no ano passado entre VLI (Valor da Logística Integrada) e Prefeitura. As prioridades para o recebimento da verba foram definidas em conjunto entre a empresa e a gestão das secretarias de Saúde e Educação. Do total de R$ 6 milhões, R$ 3,3 milhões foram destinados para projetos ligados à saúde e os R$ 2,7 milhões restantes seguiram para a educação.

Foto: divulgação