Conteúdo

Prefeitura encaminha vítimas de incêndio a abrigos

11 de junho de 2015
16h 23

Sete desabrigados pelo incêndio que destruiu 70 barracos na Vila Telma foram encaminhados para abrigos municipais. Eles estão entre as 180 famílias cadastradas pela Secretaria de Assistência Social (Seas), no Centro da Juventude da Zona Noroeste, onde foram concentrados os serviços de acolhimento e apoio aos moradores. Nesta sexta-feira (12), o atendimento prosseguirá no local para avaliar as necessidades de cada família.

O próximo passo, de acordo com a secretária da pasta, Rosana Russo, é realizar o cruzamento de dados dos cadastros realizados pela secretaria com os da Educação, Saúde e Cohab-Santista. “A proposta é checar o número exato de famílias e moradias afetadas pelo incêndio e quais delas já são atendidas pelos programas municipais”, ressaltou.

A estimativa é de que esse levantamento seja encerrado até o início da próxima semana. A partir daí, as equipes dos órgãos envolvidos conseguirão identificar as providências a serem tomadas.

Além de agentes da Seas, funcionários da Defesa Civil e da Cohab atuaram no acolhimento às famílias no Centro da Juventude.

Acolhimento

A única esperança da dona de casa Gislande Santos Silva, 24 anos, que esteve no Centro da Juventude com a filha Rafaelly, 5 meses, é a residência do ex-marido. Ela diz que já havia perdido tudo no incêndio do ano passado e que só conseguiu montar a moradia novamente há dois meses. “Estava deitada quando escutei um vizinho gritar que havia fogo e consegui sair por trás. Deu tempo apenas para retirar as roupas da bebê, minha cama, a TV e o microondas”.

A história de Maria de Fátima Conceição não é diferente. Ela mora com a mãe, que é cadeirante, e mais quatro filhos na habitação no número 34 da Praça José Lamacha. A família não perdeu tudo, mas o fundo da moradia foi totalmente destruído, segundo a dona de casa. “Pensei que não seria atingida. Graças a Deus deu tempo de retirar todos bem, e consegui salvar algumas coisas”, afirma ela, que diz viver angustiada por causa dos riscos no local.

Operação mobilizou bombeiros da Cidade e região

Foram cerca de duas horas para que o Corpo de Bombeiros controlasse as chamas que atingiram 70 barracos na Vila Telma. A ocorrência, de acordo com a corporação, teve início pouco após as 10h30 e logo se espalhou. O incêndio foi controlado por volta das 12h10, quando teve início o trabalho de rescaldo.

Segundo o capitão Alexandre Luceno, o incêndio demorou para ser controlado em razão do grande volume de material inflamável, como botijão de gás, madeira e plástico. O vento e o ar quente também contribuíram para que as chamas se espalhassem pelos barracos.

Contingente

Ao todo, 35 homens estiveram envolvidos na operação, que contou com 13 viaturas dos Bombeiros de Santos, Guarujá, São Vicente e Praia Grande. A ação teve apoio da Guarda Portuária, Sabesp e Terracom e envolveu, ainda, a Polícia Militar e a Guarda Municipal.

O chefe da Defesa Civil de Santos, Daniel Onias, afirmou que uma área de cerca de 5 mil metros quadrados foi atingida pelo fogo. A estimativa é que a Vila Telma seja ocupada por 400 famílias.

Atendimentos

Sete pessoas foram encaminhadas para o Pronto-Socorro da Zona Noroeste com queixas de mal estar provocado pela inalação de fumaça, calor e a tensão. Todos foram medicados e permaneciam em situação estável até o início da noite desta quinta-feira (11), segundo a Secretaria da Saúde.

Foto: Raimundo Rosa

 

Feedback

Ajude-nos a tornar o Santos Portal melhor. Deixe um comentário, dúvida ou sugestão.