Conteúdo

Encontro entre investidores e empresas visa novos negócios

10 de outubro de 2018
16h 38

Mais uma rede de contatos foi criada nesta quarta-feira (10), no auditório da Associação Comercial de Santos, para aproximar empreendedores da região, sociedade civil e investidores das empresas TES e Fibria, do setor portuário. O encontro foi o segundo de uma série programada pela Prefeitura e Agem (Agência Metropolitana da Baixada Santista) para apresentar aos executivos o potencial da região na prestação de serviços diversos e no oferecimento de mão de obra qualificada.

A aposta da Secretaria de Assuntos Portuários, Indústria e Comércio é a mudança de cultura de investidores em relação à contratação de serviços, incentivando-os a confiar na qualidade dos profissionais da região, que significará redução de custos, ao invés de buscar funcionários de outras cidades e até de outros estados.

“Tradicionalmente, as empresas de grande porte, quando chegam a Santos, trazem toda mão de obra de fora. Muitos empresários não têm ideia da nossa infraestrutura e do pessoal qualificado; com esses encontros eles começam a conhecer o que podemos oferecer“, explica o secretário Omar Silva Júnior.

Retomada de crescimento - Para o gerente do Sebrae - Escritório Regional da Baixada Santista, Marco Aurélio Rosas, os investimentos dessas empresas são fundamentais para a retomada de crescimento da região. “Para cada recurso investido aqui na Baixada Santista, temos empregos gerados, micro e pequenas empresas sendo beneficiadas e surgimento de novas empresas”.

Segundo ele, desde 2010 surgiram na região 70 mil novos negócios, cujos empreendedores têm buscado diferencial e qualificação, melhoria nos processos, nas finanças e no marketing para serem mais competitivas e receberem recursos de grandes empresas.

Na ocasião, a Fibria Celulose apresentou o projeto Vertere, que prevê a construção de um terminal para exportar, a partir de janeiro de 2020, 3,6 milhões de toneladas (ao ano) de celulose pelo Porto de Santos. O investimento estimado é de R$ 700 milhões, com aproveitamento de 50% da mão de obra local – cerca de 900 empregos diretos.

Criada em 2015, a TES também apresentou seu projeto de movimentação portuária de granéis sólidos de origem vegetal, com contratação de 400 funcionários para a obra em andamento no terminal; explicou a eliminação do armazém 42, o mais próximo das residências da Ponta da Praia, e ainda destacou a contribuição do ISS em 3% em 2017 e no começo deste ano.

 

Foto: 

Feedback

Ajude-nos a tornar o Santos Portal melhor. Deixe um comentário, dúvida ou sugestão.