Prefeitura Municipal de Santos


  • 11 OUT 17
    Saiba por que Santos é considerada a melhor em gestão no Estado
    Atividade de educação ambiental, setor no qual a Prefeitura obteve nota A. #pracegover

    Ações e programas nas áreas de saúde, meio ambiente, defesa civil e tecnologia, no ano de 2016, foram as principais responsáveis por Santos ter sido considerada a melhor do Estado em gestão municipal.

    O levantamento foi feito pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE).

    O Índice de Efetividade da Gestão Municipal (IEG-M) mede a qualidade dos gastos e avalia as políticas e atividades públicas das gestões de todas as cidades do Estado, exceto a Capital.

    É dividido em sete indicadores (educação, saúde, planejamento, gestão fiscal, meio ambiente, proteção aos cidadãos e governança em tecnologia da informação), cujas gestões são classificadas por conceitos: A (altamente efetiva), B+ (muito efetiva), B (efetiva), C+ (em fase de adequação) e C (baixo nível de adequação).

    O índice é construído a partir de dados governamentais e outras fontes oficiais, dados de sistemas automatizados de apoio à fiscalização (Técnicas de Auditoria Assistidas por Computador) e informações levantadas a partir de questionários preenchidos pelas prefeituras.

    A nota A em saúde de Santos foi atribuída com ênfase na atuação da Prefeitura na Atenção Básica, Saúde da Família, Conselho Municipal de Saúde e atendimento à população para o tratamento de doenças como tuberculose, diabetes, hipertensão, além da cobertura das campanhas de vacinação e de orientação. Das 644 cidades, apenas 68 (10,5%) obtiveram o conceito A em saúde (a média geral foi B).

    Meio ambiente

    Uma gestão considerada altamente efetiva em meio ambiente garantiu o segundo A de Santos. Este índice analisa dados relativos a resíduos sólidos, educação ambiental, estrutura ambiental e conselho da área. Apenas 10,2% (66) municípios obtiveram o conceito (B foi a média estadual).

    Defesa Civil

    Já o A no indicador “I-cidade” reflete as ações do planejamento da Prefeitura na proteção da população frente a possíveis desastres. Reúne informações sobre os planos de contingência, identificação de riscos para intervenção do poder público e a infraestrutura da Defesa Civil. Somente 62 cidades (9,6%) obtiveram o conceito “altamente efetiva” neste quesito (média geral de C).

    Tecnologia

    Apenas as cidades de Indaiatuba, Lucianópolis, Marília, Bauru, Lençóis Paulista e Taboão da Serra se juntaram a Santos (1% do total) no conceito A na governança em tecnologia da informação. Este índice reflete as políticas da Prefeitura no uso da informática, segurança da informação, capacitação do quadro de pessoal e ações de transparência pública (C+ foi a média dos 644 municípios).

    Foto: Isabela Carrari/Arquivo



TOPO