Prefeitura Municipal de Santos


  • 19 MAI 17
    VLT da Baixada Santista é premiado em congresso sobre mobilidade no Canadá
    Composição do Veículo Leve sobre Trilhos rodando pela Cidade. #pracegover

    Santos e a região ganharam destaque no exterior com a premiação conferida ao projeto do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), durante congresso internacional sobre mobilidade urbana, realizado em Montreal, no Canadá, nesta semana (entre os dias 15 e 17).

    O empreendimento do Governo do Estado, viabilizado por meio de Parceria Público-Privada (PPP), foi vencedor do UITP Awards 2017, categoria Modelo de Negócios e Financiamentos Inovadores.

    Em seu primeiro trecho já implantado, o VLT da Baixada Santista tem 11,5 km de extensão, ligando as estações Barreiros (São Vicente) e Porto (Santos). Na segunda etapa, em fase de contratação do estudo para definição do trajeto, estão previstos mais 8 km do modal em Santos.

    Para o prefeito Paulo Alexandre Barbosa, a estruturação do projeto, contando com técnicos do Estado e do Município, foi fundamental para o sucesso do novo meio de transporte. “O VLT está em operação na Cidade, em toda a primeira fase há poucos meses, mas já é uma referência como modal de transporte, com veículos modernos, climatizados, eficientes com uso de energia limpa. Essa premiação internacional é um importante reconhecimento do acerto em todo o processo, desde a escolha do projeto até a forma de operação do VLT, o que beneficia diretamente o usuário do transporte coletivo”.

    A apresentação sobre o VLT da Baixada no congresso do Canadá foi encaminhada pela Addax Assessoria Econômica e Financeira, que elaborou o projeto de negócios, e a Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU). Além de troféu, o ganhador do prêmio pode incluir o selo de vencedor em todos os seus documentos corporativos.

    Investimento

    A operação do VLT se dá pela PPP entre a EMTU e o Consórcio BR Mobilidade Urbana, na modalidade Concessão Patrocinada, com prazo de validade de 20 anos e valor que soma R$ 5,6 bilhões para beneficiar direta e indiretamente 1,8 milhão de habitantes da região metropolitana.

    O trecho inicial, entre Santos a São Vicente, transportou cerca de 2 milhões de passageiros desde junho de 2016, quando o consórcio assumiu a operação sob gerenciamento da EMTU.

    Foto: Arquivo Secom / Francisco Arrais



TOPO