Conteúdo

Renovada, parceria entre Prefeitura e Camps chega a cinco décadas

17 de novembro de 2017
13h 29

Ao chegar em seu local de trabalho às 9h, Nicoly de Souza Pereira, 17 anos, cumprimenta todos os colegas para depois iniciar suas tarefas, que incluem despachar documentos e fazer ligações para marcar reuniões.

Moradora de Caruara, ela está entre os 81 jovens que atualmente trabalham nos diversos setores da Prefeitura por meio do Centro de Aprendizagem e Mobilização Profissional e Social, o Camps.

No ano do seu cinquentenário, a instituição com sede na Av. Washington Luís, 2, também completa cinco décadas de parceria com a Administração Municipal, renovada por mais um ano conforme a lei 3.394/2017.

A iniciativa oferece a adolescentes em vulnerabilidade social, e àqueles com deficiência e/ou assistidos, a oportunidade de exercerem atividade de trabalho para a sua formação pessoal, profissional e social, e facilitar sua inserção no mercado formal.

Há dez meses atuando no gabinete da Secretaria de Assistência Social pelo Camps, Nicoly se sente confiante no seu primeiro emprego sob a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). “Estou adquirindo muita experiência e me desenvolvendo rápido. Adoro trabalhar aqui, pois todos têm confiança na gente e isso me deixa tranquila. Antes, eu tinha medo de fazer coisas erradas e de conversar com as pessoas. Hoje, sei que conseguirei fazer uma entrevista de emprego normalmente”, conta a caçula de quatro irmãos, que sonha estudar Arquitetura e ingressou no Camps para ajudar a mãe em casa.

Formação profissional e humana

O termo de cooperação que renova a parceria prevê contratação de até 200 jovens, que ficam no Camps por 15 meses. Devem ter completado 14 anos, estar estudando e inscritos na instituição. Regulamentado pelo Ministério do Trabalho e pelo Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Santos, a iniciativa inclui treinamento inicial de 50 dias, com foco em administração.

Os jovens trabalham 6 horas diárias, de segunda a sexta-feira, com intervalo de 2h, durante quatro dias na semana e um dia no Camps fazendo curso. Os que atuam na Prefeitura recebem um salário mínimo, mais cesta básica, vale-refeição e vale-transporte. “É a entidade referência que mais prepara aprendizes para o mercado de trabalho. O resultado é sempre positivo para o Município. Eles recebem não só instruções de trabalho, mas também de cidadania”, destaca o secretário de Gestão, Carlos Teixeira Filho.

Segundo a gerente geral do Camps, Viviane Aparecida Figueira Simone, do total de 900 jovens empregados pela instituição, cerca de 30% sustentam a família. “Dos 10% que estão alocados na Prefeitura, 5% são arrimos de família. É uma oportunidade para que se desenvolvam, se socializem e vivenciem práticas laborais para sua formação profissional e humana”, diz ela, ressaltando que a Prefeitura é uma das que mais contrata jovens do Camps.

OPORTUNIDADES

Fabinho e Dieguinho são apelidos comuns no meio esportivo, em especial no futebol, mas estes personagens fazem parte do ‘time’ de mais de 10 mil jovens que já trabalharam na Prefeitura por meio do Camps.

Ambos têm trajetórias profissionais parecidas: começaram a trabalhar na Secretaria de Comunicação como patrulheiros, onde permanecem até hoje. Fábio Dias Nunes, 36, e Diego Matos Fonseca, 32 – Fabinho e Dieguinho, como são chamados na redação -, se tornaram repórteres cinematográficos no setor. “Tudo o que tenho hoje na minha vida devo ao Camps, que foi fundamental na minha formação profissional e humana. Jovens que acabam de ingressar têm que mergulhar de cabeça nessa oportunidade que vai transformar a vida deles como transformou a minha”, afirma Fabinho. Dieguinho entrou em 2000 por influência da mãe. “Aprendi muito quando ainda era patrulheiro”.

Foto: Rogério Bomfim

 

Ilustração mostrando a esquerda, em primeiro plano, um celular recebendo um e-mail e a direita, em segundo plano, uma xícara com café. #pracegover

Newsletter SantosPortal

Receba todo dia as notícias mais importantes e os atos oficiais da Prefeitura de Santos.