Conteúdo

Com 97% da obra pronta, Complexo Hospitalar dos Estivadores tem nome oficializado

9 de maio de 2016
13h 21

A Prefeitura oficializou nesta segunda-feira (9) como Complexo Hospitalar dos Estivadores o nome do prédio da unidade de saúde, em fase final de reforma e ampliação – 97% do projeto está executado. Decreto nesse sentido foi assinado nesta segunda, durante visita às obras, acompanhada por dirigentes do sindicato da categoria.

Na ocasião, o prefeito Paulo Alexandre Barbosa disse esperar que o Ministério da Saúde assuma metade do custeio da unidade hospitalar, estimado em R$ 10 milhões/mês. A Administração Municipal negocia com o estado o grau de participação nos 50% restantes.

“O hospital fica em Santos mas é regional, por isso é justo que o governo federal invista”. O secretário de Saúde, Marcos Calvo, afirmou que o ministério tem assumido esse compromisso em todos os hospitais novos. Na primeira etapa, o complexo abrirá com 88 leitos; na segunda, 170; até atingir a capacidade total de 223 leitos.

Aprovação

O estivador Marcílio Dias, 67 anos, administrou o antigo Estivadores de 1977 a 1980 e ficou impressionado com o que viu. “Estou muito feliz em ver que está perto de o hospital reabrir”. Já o ex-presidente do sindicato, Vanderlei José da Silva (de 1987 a 2002), 64, lembrou das dificuldades em manter a unidade funcionando. “A categoria sempre fez muito sacrifício para manter o hospital aberto”.

O atual presidente, Rodnei da Silva, 42, disse ter ficado surpreso com o que viu. “Dá orgulho ver que a estiva construiu um patrimônio desse porte e a manutenção do nome dos estivadores no hospital é uma homenagem e um resgate histórico”. Marilene da Silva, 60, ex-copeira do Estivadores de 1987 a 1998, disse não ver a hora do complexo ser inaugurado. “Está tudo maravilhoso, é muito moderno".

Gerenciamento

O Complexo Hospitalar dos Estivadores vai ser gerenciado por uma organização social. Demonstraram interesse o Instituto Oswaldo Cruz, Fundação ABC, Pró-Saúde, BioSaúde e InSaúde. As empresas já visitaram o edifício para conhecer a infraestrutura e dia 20 serão abertos os envelopes com as propostas.

Segundo o secretário, quando estiver funcionando, o complexo vai ter impacto sobre os outros hospitais. Ele citou como exemplo o Guilherme Álvaro, que tem 40% dos pacientes de outras cidades. Na sua plenitude, o Complexo Hospitalar dos Estivadores terá capacidade para 300 partos/mês e de 1.200 a 1.300 internações/mês.

O complexo

=> Bloco A
Térreo – recepção
1º andar – Centro Cirúrgico
2º andar – UTI Infantil

=> Bloco B
1º andar – Administração, recepção, raio-X e tomografia
2º andar – Enfermaria e repouso
3º e 4º andares – Maternidade e leitos
5º ao 10º andares – leitos

=> Bloco C (novo)
Térreo – recepção
1º andar – Centro Cirúrgico
2º andar – UTI adultos

=> Bloco D
Térreo – Laboratório, farmácia, esterilização
1º andar – Cozinha, refeitório para funcionários e câmera frigorífica

Foto: Isabela Carrari